Páginas

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

0

Acesse seus links favoritos de qualquer lugar

Encontrou um conteúdo muito legal na Internet, mas não pode acessá-lo no momento? O procedimento mais comum seria salvar o link em algum lugar ou guardar nos favoritos do navegador. O problema dessa opção é muito simples: não dá para acessar no trabalho aquele endereço interessantíssimo que você guardou no computador de casa, por exemplo. Muitos usuários apostam na nuvem para guardar esse tipo de informação, para que possa ser acessada de qualquer lugar. O Read it Later faz exatamente isso – e vai além.
Esse aplicativo gratuito da Idea Shower funciona como um agregador de conteúdo, que armazena as páginas selecionadas pelo usuário em uma espécie de banco de dados, que pode ser acessado por um complemento do navegador, aplicativo para celular ou mesmo a partir de outro explorador, a partir de um cliente web. Durante os testes, utilizamos a extensão oficial para Firefox e o aplicativo no iPod Touch.

Muitos e muitos recursos
Ao abrir o aplicativo pela primeira vez, o Read it Later dá duas opções ao usuário: a primeira é fazer o login e a outra serve para criar uma conta de usuário – essa conta é necessária para sincronizar o conteúdo em todos os clientes do Read it Later, seja no dispositivo iOS ou no computador. Criar o usuário é muito simples e basta um nome e uma senha – a opção para inserir um e-mail para recuperação de senha é opcional, e pode ser alcançada nas opções avançadas do aplicativo.
Depois de logar, a tela inicial do app mostra os três principais itens de interface: o Reading List, que exibe todos os itens guardados pelo usuário, o Currently Reading, que mostra os endereços abertos recentemente e, por fim, o Read Archive, que salva os links marcados como lidos.
Para adicionar sites para que sejam lidos mais tarde, há essencialmente duas maneiras de fazê-lo: a primeira, mais simples delas, é no Mac (ou em outro computador), a partir da extensão do aplicativo para o navegador. Ao final da barra de endereços, há uma flecha que, ao ser clicada, adiciona a página à lista de leitura, tornando-se uma marca de visto vermelha. Ao clicar novamente na marca, o item é removido, sinalizado como lido.

readitlater02.png
Organização: além das tags, a lista de leitura possui um mecanismo de busca e categorização integrados

O outro jeito de adicionar as páginas à lista é a partir do próprio Safari do iPhone ou iPod Touch. Na tela inicial, o botão Add leva o usuário a uma página com um tutorial (muito bem feito, por sinal) que explica passo a passo como fazer para adicionar sites diretamente do dispositivo móvel. Seja qual for o método escolhido, as páginas adicionadas são sincronizadas quase que instantaneamente, e podem ser acessadas em um outro computador, por exemplo.

readitlatermac01.jpg
No navegador, para adicionar um item à lista, basta clicar na seta ao final da barra de endereço

Na Reading List, onde são mostrados os sites salvos, o primeiro item é um menu para navegação por tags. Essas palavras-chave podem ser inseridas ao editar as páginas, a partir de um menu contextual. Essa navegação por tags facilita muito na hora de encontrar e categorizar os endereços.
Várias tags podem ser adicionadas às páginas, contudo, a única maneira de retirá-las é apagar manualmente as palavras – e se elas estiverem em vários sites, é preciso ir em cada um deles e apagar os termos. Há também, na base da página, um mecanismo de busca integrado, que filtra os resultados por título, URL ou tag, além de um botão do lado esquerdo inferior, que organiza os itens da lista por mais recente, mais antigo, por título ou site.

Navegação
Ao clicar em um item da lista, a página correspondente é aberta e, na parte superior, há um minicursor com o qual o usuário pode acessar o site seguinte ou anterior. Na base da tela, há os quatro botões principais de navegação; o primeiro deles marca a página como lida e o seguinte permite ao usuário alterar entre dois modos de exibição: o modo article, que mostra somente o texto do site (o que é bom para conexões mais lentas ou 3G) e o modo Full Page, que exibe a página com todos seus elementos gráficos, recomendado para conexões Wi-Fi. Os outros dois botões são o Share (disponível somente na versão Pro) e outro para atualizar a página.
Os links que foram adicionados podem ser editados, a partir de um painel, e acessado ao arrastar um dos endereços para a direita. O primeiro ícone, com forma de lápis, leva o usuário a uma página na qual ele pode alterar o título, as tags do site, marcar a página como lida ou apagá-la, sem que ela vá para os itens lidos. Nesse mesmo painel há também ferramentas para fazer o download da página (que pode posteriormente ser exibida em modo offline) e outro ícone para marcar um item como lido.
readitlater03.png
Além das opções no painel inferior, há um cursor no canto direito superior para navegar nos itens da lista de leitura

Um dos principais pontos positivos do Read it Later, além da facilidade de interagir com o aplicativo, é sua extensa lista de tópicos de ajuda e configurações. No menu principal, no botão Help, há uma lista com passo-a-passos bem explicados e informações sobre o aplicativo e, no ícone Options, há recursos para editar a conta de usuários, como mudar o nome, senha e fornecer um e-mail para recuperação de senha, além de opções avançadas para limpar cookies e arquivos baixados, entre outros.

Bugs
Há poucos obstáculos no Read it Later, que não chegam a atrapalhar a vida do usuário. O comando para marcar os itens como lidos não é tão intuitivo como acontece nos clientes para Mac ou PC: ao tocar no visto de verificação vermelho, é preciso clicar no ícone Mark as Read, no canto inferior da tela. Outro problema é um bug na Read Archive, que guarda os itens lidos. Ao tentar apagar uma página da lista, o item não desaparece imediatamente; é preciso realizar o processo novamente para, então, eliminar a página do arquivo.
Mesmo assim, esses pequenos obstáculos não tiram a excelência do aplicativo. Muito bem desenhado e com diversos recursos de customização, incluindo integração com aplicativos de mídias sociais, o Read it Later nem parece que é gratuito.

Fonte: http://macworldbrasil.uol.com.br/reviews/2011/01/14/acesse-seus-links-favoritos-de-qualquer-lugar-com-o-read-it-later/