Páginas

sábado, 7 de julho de 2012

1

Todos Contra a Gripe A


Medidas de prevenção
  • Higienizar as mãos com água e sabonete/sabão antes das refeições, antes de tocar os olhos, boca e nariz após tossir, espirrar ou usar o banheiro;
  • Evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies;
  • Proteger com lenços (preferencialmente descartáveis) a boca e nariz ao tossir ou espirrar, para evitar disseminação de gotículas das secreções; na impossibilidade de serem usados lenços, recomenda-se proteger a face junto à dobra do cotovelo ao tossir ou espirrar;
  • Indivíduos com síndrome gripal devem evitar entrar em contato com outras pessoas suscetíveis;
  • Indivíduos com síndrome gripal devem evitar aglomerações e ambientes fechados;
  • Manter os ambientes ventilados;
  • Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
  • Indivíduos com suspeita ou confirmação de gripe devem ficar em repouso, utilizar alimentação balanceada e aumentar a ingestão de líquidos. 
     
Técnica para higienização das mãos

(clica na imagem e assista)

1. Higienização das mãos com água e sabonete
A higienização das mãos com água e sabonete é essencial quando as mãos estão visivelmente sujas ou contaminadas com secreções respiratórias. Tem a função de remover os microrganismos que colonizam as camadas superficiais da pele, assim como o suor, a oleosidade e as células mortas. Deve ser realizada antes e após o contato direto com pessoas com doença respiratória e seus pertences e a duração recomendada para o procedimento é de 40 a 60 segundos.

2. Higienização das mãos com preparação alcoólica
Sabe-se que o vírus da influenza sazonal é rapidamente inativado em 30 segundos após anti-sepsia das mãos com gel alcoólico a 70% ou de solução alcoólica a 70% com 1-3% de glicerina. A sua utilização pode substituir a higienização com água e sabão quando as mãos não estiverem visivelmente sujas, reduzindo a carga microbiana presente nas mãos. O tempo preconizado para o procedimento é de 20 a 30 segundos. 
 Cuidados em Creches e Classes de Pré-Escola
  • Encorajar cuidadores e crianças a lavar regularmente as mãos e os brinquedos com água e sabonete/sabão;
  • Encorajar os cuidadores a lavar as mãos após contato com secreções nasais e orais das crianças, principalmente quando a criança está com suspeita de síndrome gripal;
  • Os cuidadores devem observar se há criança com tosse, febre e dor de garganta providenciando, junto aos pais, o afastamento da mesma;
  • Evitar o contato da criança doente com as demais. Recomenda-se que a criança doente fique em casa durante 14 dias, a fim de evitar a transmissão da doença, devendo retornar à escola após a liberação médica;
  • Orientar os cuidadores e responsáveis pela Instituição que notifiquem a respectiva Secretaria de Saúde Municipal caso observem um aumento do número de crianças doentes com síndrome gripal ou com não comparecimento pela mesma causa. 
     
Providências nas escolas
  • Prover lixeira, preferencialmente, com acionamento por pedal, para o descarte de lenços e lixo;
  • Prover, sempre que possível, dispensadores com preparações alcoólicas para as mãos (sob as formas gel ou solução) e estimular a higienização das mãos após contato com secreções respiratórias (alunos maiores);
  • Prover, sempre que possível, condições para higienização simples das mãos: lavatório/pia com dispensador de sabonete líquido, suporte para papel toalha, papel toalha, lixeira com tampa e abertura sem contato manual;
  • Manter os ambientes ventilados;
  • Realizar a limpeza e desinfecção das superfícies das salas de aula e demais espaços da escola (classes, cadeiras, mesas, etc.);
  • Aparelhos e equipamentos de educação física também devem ser higienizados após o uso.
Medidas a serem implementadas no transporte de alunos
  • Melhorar a ventilação do veículo para aumentar a troca de ar durante o transporte.
  • As superfícies internas do veículo devem ser limpas e desinfetadas após a realização do transporte de doentes ou suspeitos, se for o caso. A desinfecção pode ser feita com álcool a 70%, hipoclorito de sódio a 1% ou outro desinfetante indicado para este fim.
Limpeza e desinfecção nas escolas
  • Sabe-se que o vírus da influenza é inativado pelo álcool a 70% e pelo cloro. Portanto, preconiza-se a limpeza das superfícies, com detergente neutro seguida da desinfecção com uma destas soluções desinfetantes.
 
 

Técnica “Fricção Antisséptica das Mãos” (com água e sabonete ou com preparações alcoólicas)
Antes de iniciar qualquer uma dessas técnicas, é necessário retirar jóias (anéis, pulseiras, relógio), pois sob tais objetos podem acumular-se microrganismos.

 


Friccionar as palmas das mãos entre si com água e sabonete ou com gel alcoólico;

 




Esfregar a palma da mão direita contra o dorso da mão esquerda entrelaçando os dedos e vice-versa;



Entrelaçar os dedos e friccionar os espaços interdigitais;



Esfregar o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta, segurando os dedos, com movimento de vai-e-vem e vice-versa;



Esfregar o polegar direito, com o auxílio da palma da mão esquerda, utilizando-se movimento circular e vice-versa;



Friccionar as polpas digitais e unhas da mão esquerda contra a palma da mão direita, fechada em concha, fazendo movimento circular e vice-versa;



Esfregar o punho esquerdo, com o auxílio da palma da mão direita, utilizando movimento circular e vice-versa.





No caso de higienização das mãos com água e sabonete, enxaguar as mãos, retirando os resíduos de sabonete. Evitar contato direto das mãos ensaboadas com a torneira e secar as mãos, iniciando pelas mãos e seguindo pelos punhos.
Depois de higienizar as mãos com preparação alcoólica, deixe que elas sequem completamente (sem utilização de papel-toalha).

Um comentário:

Prof. Cledir Rocha Pereira disse...

Vamos ter esses cuidados básicos, que certamente não teremos casos próximos de nós!